Eu torço muito para o ciclismo Belga! E você? – Part I

Introdução: Então, eu sou brasileiro e nasci em Santos/SP em 1962. Nasci e cresci, portanto, sob a massiva influência do nosso futebol Tri-campeão mundial e do Santos FC da era Pelé. No entanto, quando aos 15 anos comecei a correr para valer, eu passei a ter o maior bode com o futebol, porque o meu amado ciclismo tinha pouco espaço na mídia. Era só Santos, Pelé, Santos…e Santos e mais Santos, quando o Rei do Futebol largou a bola…e assim continuou quando o time afundou por duas décadas.

Mesmo com a nossa cidade vencendo os Jogos Regionais e Jogos Abertos (competições até hoje disputados por Cidades e não por equipes/clubes) e mandando vários ciclistas para seleções brasileiras de Juniores (até eu “quase” fui…), o espaço dedicado pelos jornasis continuavam pífios. E dá-lhe futebol!

Grandes Belgas – Pois foi nesta época que eu me apaixonei pelo ciclismo belga, por conta das conquistas épicas de:

  • Eddy “Cannibal” Merckx, vencedor de tudo, ainda que já declinante na época
  • Roger “Le Gitan” de Vlaeminck,  recordista de vitórias na Paris-Roubaix (4) e vencedor de todos os clássicos (menos a Paris-Tour)
  • Freddy Maertens, 2 Campeonatos Mundiais de Estrada, Vuelta a España, muitas Clássicas (ainda que nenhum Monumento) e 3 Maillot Vert (Classificação por Pontos) do Tour de France

Tour de Flandres 1977...uma prova cheia de controvérsias

Nota: fui econômico no festival de vitórias destas lendas vivas, mas vejam ao lado – na seção de links – as ótimas pesquisas da Wikipedia.

Além dos três ícones acima, a Bélgica dos anos 70 produziu o maior número de campeões do ciclismo – de Classicos e de Grand Tours – que o mundo já viu numa única década. Outros nomes que vocês possam ter lido (mas que devem conhecer) foram:

  • Walter Godefroot, Liège-Bastogne-Liège, Tour de Flandres, Paris-Roubai +10 Etapas do Tour e 1 Maillot Vert
  • Eric Leman: 3 Tour de Flandres
  • Andre Dierickx, 2 Flèche Wallone, Championat de Zurich
  • Franz Veerbeck, Amstel Gold Race, Flèche Wallone
  • Lucien van Impe, 1 Vitória do Tour de France (+ 7 Classificação da Montanha)
  • Michel Pollentier, Giro d’Italia, Dauphiné Libèrè, Tour de Flandres
  • Johan de Mynck, Giro d’Italia, Tour de Romandie, Vuelta a Catalonya
  • Marc Demeyer, Paris-Roubaix, Paris-Bruxelas
  • Johan Bruyère, 2 Liège-Bastogne-Liège, 3 Het Volk
  • Walter Planckaert, Tour de Flandres, Amstel Gold Race
  • Herman van Springel, 7 Bordeaux-Paris, Giro di Lombardia, Paris-Tours, Het Volk, 2 GP des Nations (CRI), Championat de Zurich
  • Roger Rosiers, Paris-Roubaix
  • Patrick Sercu, maior medalhista em Campeonatos Europeus e Mundiais de provas de Pista, 88 vitória em provas de 6 Dias, Maillot Vert do Tour 74 (+ 6 vitórias de Etapa)
  • Ferdinand Bracke, 1 Vuelta a España, 2 Campeonatos do Mundo de Perseguição, Recorde da Hora

Como deu para notar, sobrou pouca corrida para ciclistas de outras nacionalidades nos anos 70.

Uma curiosidade meio boba para vocês, mas importante para mim: além das vitórias belgas que eu lia em notinhas minúsculas no jornal A Tribuna de Santos, eu comecei a curtir muito os belgas….por causa dos NOMES deles!! Soavam bem ao meu ouvido a terminação “ckx” ou os inúmeros “De…”. Cada uma, né?!…🙂

Num próximo post falarei sobre as minhas Super Equipes Belgas de Todos os Tempos!

Super abraço, F.

About Fernando Blanco

Apaixonado por ciclismo há mais de 30 anos, começou a pedalar em 1977 em Santos, tendo corrido para valer até os 20 anos de idade, quando coisas 'banais' como faculdade, carreira executiva, casamentos e filhos atrapalharam um pouco...agora, como Senior B, está treinando forte e pretende compensar o tempo perdido. Como ciclista foi um bom sprinter, chegando à pré-convocação da Seleção Brasileiros de Juniores em 1979. Se a carreira como ciclista não foi grande coisa, a coleção de revistas locais e internacionais (mais de 1.000) e de videos/DVDs (mais de 100) proveram bastante cultura sobre o ciclismo profissional. Provas internacionais acompanhadas ao vivo: Mundial de Estrada ('07), Mundial de Pista ('89), Tour de France ('97 e '02), Liège-Bastogne-Liège e Flèche Wallone (ambas em '92), Paris-Nice ('97), Ronde van Belgie (´89).
This entry was posted in Biografias, Cultura Ciclística and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to Eu torço muito para o ciclismo Belga! E você? – Part I

  1. Rogério Yokoyama-Palmas/TO says:

    Caramba ! O Fernando está publicando praticamente 2 tópicos por dia !
    Parabéns de novo e votos de muito sucesso.
    Sobre as lendas belgas do ciclismo, felizmente ainda posso vê-los vivos (nem todos) mas infelizmente não participei desse período glorioso do ciclismo ( sou de 1975)….
    Imaginem esses caras com a mídia e marketing que existe hoje……

  2. Juca says:

    Eu torço para os bascos!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s