Skil Cycling Team…Passado e Presente

Caros – o Maglia Rosa publicou hoje fotos do novo uniforme da Skil e eu aqui pego a mais ética das caronas, por conta de uma lembrança dos meus 20 e poucos anos. Foi quando a mesma empresa Skil patrocinou uma equipe de ciclismo pro. Mas era uma ‘senhora equipe’, liderada por um dos maiores campeões de Clássicos de todos os tempos, o irlandês Sean Kelly!

E ao xeretar na internet algo sobre aqueles tempos, deparei-me com este site, que compara a Skil atual com a de outrora (inclusive equipamentos). Muito legal e vale a pena visitá-lo, ainda que em inglês.

História – a antiga equipe francesa Skil correu apenas dois anos, em 1984 (Skil SEM Mavic Reydel) e em 1985 (Skil Reydel SEM), sempre sob o comando do lendário Jean de Gribaldy (que era Visconde…).

Monsieur De Gribaldy foi ciclista profissional, de 1945 a 1954, tendo corrido como gregário pela temível Peugeot Dunlop. Seus resultados, porém, foram medíocres – como os de todo gregário que se preze, né?! Conseguiu pouquíssima vitórias em criteriuns, mais um segundo lugar no Campeonato Francês de 1947, um décimo lugar numa Liège-Bastogne-Liège de 1952 e só. Correu apenas dois Tour de France sem qualquer destaque (46o em 1947 e 45o em 1952).

Já como diretor de equipe/dono a história foi outra! De 1964 a 1986 Jean de Gribaldy dirigiu ou foi Manager de mais de 10 equipes e de grandes campeões. O prestígio começou nos anos 77-79 na Flandria. Ele chegou com a equipe pronta no entorno de Maertens-Pollentier-De Meyer, mas foi Gribaldy quem deu atenção especial a um jovem embalador de Freddy Maertens, de nome Sean Kelly. E antes disso ele já havia revelado para o mundo o maior ciclista português da história: Joaquim Agostinho (3o do Tour de France em 1978 e 79, além de vencer a então famosa Volta do Estado de São Paulo nos anos 60!).

Com o fim da Flandria ao final de 1979 (e este que vos escreve quase chorou de decepção), De Gribaldy montou a Puch SEM Campagnolo em 1980 – sem sucesso dígno de nota -, para em seguida embalar com a SEM France Loire.

Sean Kelly – o grande irlandês, ao sair da Flandria juntou-se à recém-formada Splendor (que tornava-se a nova grande equipe belga), não evoluia, limitando-se a vencer etapas de voltas menores aqui e ali. Naturalmente, ele não tinha moleza com os patrões belgas, pois os irmãos Planckaert (o veterano Walter e a grande promessa Eddy) eram os queridinhos do diretor da equipe, Albert de Kimper.

Após montar a equipe a SEM France Loire em 1981, o astuto De Gribaldy consegui atrair Kelly para sua pequena equipe, em 1982, prometendo-lhe a liderança absoluta. O sucesso foi gigante e mútuo. Foi De Gribaldy quem ensinou a Kelly que ele poderia vencer todo tipo de Clássicos, Grand Tours e o que mais se apresentasse.

Sucesso – e como é mega natural no ciclismo, em 1984 De Gribaldy fechou acordo com a empresa holandesa Skil, para que esta se tornasse a nova patrocinadora do seu time. E nos seus dois curtos anos de vida a Skil venceu estas principais provas com Sean Kelly:

1984

  • Paris-Roubaix
  • Liège-Bastogne-Liège
  • Paris-Tours (na época chamada de Blois-Chaville)
  • Volta a Catalonya
  • Vuelta al País Vasco
  • Critérium International
  • Super Prestige Pernod (o grande Ranking do ciclismo na época)
  • (+) a Vuelta a España com Eric Caritoux

King Kelly - Skil - voando em Roubaix....mas ele nunca venceu nos Flandres

1985

  • Tour de France: Classificação por Pontos
  • Vuelta a España: Classificação por Pontos + 3 Etapas
  • Giro di Lombardia
  • Super Prestige Pernod (o grande Ranking do ciclismo na época)
  • Kelly + Caritoux chupando uma laranja...

    Apesar de tanto sucesso, ao final de 85 a Skil saiu de cena e a equipe de Jean de Gribaldy passou a chamar-se KAS – empresa de bebidas da Espanha. A KAS havia brilhado nos anos 70, mas isto é para outro post.

    Enfim, a idéia deste artigo foi mostrar que já houve uma outra equipe Skil, com uniforme muito parecido, mas com uma história muito diferente.

    Abraços, F.

About Fernando Blanco

Apaixonado por ciclismo há mais de 30 anos, começou a pedalar em 1977 em Santos, tendo corrido para valer até os 20 anos de idade, quando coisas 'banais' como faculdade, carreira executiva, casamentos e filhos atrapalharam um pouco...agora, como Senior B, está treinando forte e pretende compensar o tempo perdido. Como ciclista foi um bom sprinter, chegando à pré-convocação da Seleção Brasileiros de Juniores em 1979. Se a carreira como ciclista não foi grande coisa, a coleção de revistas locais e internacionais (mais de 1.000) e de videos/DVDs (mais de 100) proveram bastante cultura sobre o ciclismo profissional. Provas internacionais acompanhadas ao vivo: Mundial de Estrada ('07), Mundial de Pista ('89), Tour de France ('97 e '02), Liège-Bastogne-Liège e Flèche Wallone (ambas em '92), Paris-Nice ('97), Ronde van Belgie (´89).
This entry was posted in Biografias, Equipes and tagged , , . Bookmark the permalink.

3 Responses to Skil Cycling Team…Passado e Presente

  1. Gustavo says:

    Prezado Fernando,
    O comentário é apenas para elogiar o seu “site”, que passou a ser um dos que acesso todos os dias. Primeiro descobri o Maglia Rosa. Agora o seu. Ambos excelentes.
    Parabéns !
    Abraço,
    Gustavo

  2. Sômulo N Mafra says:

    Excelente post, sensacional… é sempre muito bom resgatar essas histórias antigas…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s