Roubaix ‘ao vivo’: Quick Step…Quick Crap! Lixo de equipe!!

Não sei se estou mais chocado ou revoltado! Como torcedor estou revoltado e como analista estou chocado.

É ÓBVIO que numa corrida como a Paris-Roubaix o líder da equipe seja ESCOLTADO por 2 ciclistas fortes o tempo todo!! Isto deve ser ainda mais verdadeiro nos momentos-chave da prova. Por exemplo, na Tranchée (Trouée) d’Aremberg.

Pois não é que Boonen teve um problema mecânico bem alí e ficou um tempão vendo o pelotão voar do seu lado, sem NENHUM ciclista da sua equipe aparecer para ajudá-lo? Aí veio um infeliz e passou direto, indo parar lá na frente.

O inferno dentro do inferno....e sem ajuda!

Boonen trocou de bicicleta (não pareceu ser furo, pois ele estava com graxa nas maõs….corrente, câmbio?) e saiu como um foguete. A diferença de força e classe para com os ciclistas ‘comuns’ (o que seremos nós, então?) é absurda.

Já fora da floresta d’Aremberg ele estava num grupeto….sem NENHUM colega de equipe. FAZ FAVOOOOORRRR!! Escrevo faltando 70 km de corrida. Os outros favoritos poderão ter azar também, mas ficou muito difícil mesmo para Boonen.

PQP!!!!!!! Enquanto eu procurava uma foto Boonen caiu feio, faltando 69 km….meu Deus…que dia!! E sem ninguém para ajudar…de novo!! Botaram cadeirantes ao invés de ciclistas na equipe hoje?!

Patrick Lefevere -o amigo Patrick tem um coração fraco. Já fez operações cardíacas e tal. Depois que vendeu a equipe para investidores parece que a magia se foi. Eu perdi a conta de quantos ‘hat tricks’ ele já produziu na Paris-Roubaix (fazer o 1o, 2o e 3o lugares na prova).

O mais famoso foi nos tempos de Mapei, quando Musseuw, Bortolami e um ainda jovem Tafi destacaram e ele precisou decidir o que fazer: deixar se atacarem, brigar no sprint ou arbitrar a classificação. Os dois italianos concordaram que o belga deveria vencer, pois era o favorito para vencer a Copa do Mundo (o Pro Tour da época), mas ambos queriam ser o 2o colocado….Lefevere optou por ligar para o dono da empresa Mapei, Giorgio Squinzi, que definiu ele mesmo a classificação. Que foto histórica…

Bons tempos, hein Patrick!

Antes de apertar “enter”, outro azarado da Quick Step, Sylvain Chavanel, certamente, o segundo líder da equipe pois estava na frente do Boonen e não parou para ajudá-lo, caiu muito feio – após ter furado!

Não é o do dia Quick Step…

Abs + boa corrida! F.

About Fernando Blanco

Apaixonado por ciclismo há mais de 30 anos, começou a pedalar em 1977 em Santos, tendo corrido para valer até os 20 anos de idade, quando coisas 'banais' como faculdade, carreira executiva, casamentos e filhos atrapalharam um pouco...agora, como Senior B, está treinando forte e pretende compensar o tempo perdido. Como ciclista foi um bom sprinter, chegando à pré-convocação da Seleção Brasileiros de Juniores em 1979. Se a carreira como ciclista não foi grande coisa, a coleção de revistas locais e internacionais (mais de 1.000) e de videos/DVDs (mais de 100) proveram bastante cultura sobre o ciclismo profissional. Provas internacionais acompanhadas ao vivo: Mundial de Estrada ('07), Mundial de Pista ('89), Tour de France ('97 e '02), Liège-Bastogne-Liège e Flèche Wallone (ambas em '92), Paris-Nice ('97), Ronde van Belgie (´89).
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

3 Responses to Roubaix ‘ao vivo’: Quick Step…Quick Crap! Lixo de equipe!!

  1. Sômulo N Mafra says:

    Achei bastante pertinente a crítica sobre o trabalho da Quick Step. Agora eu te pergunto: e sobre a Leopard Team?

    Nas duas provas (Flandres e Paris-Roubaix) não havia ninguém da equipe lá na frente pra ajudar o Cancellara na reta final.

    Ele bateu na trave nas duas vezes. Assim fica difícil até pro Motoralla….

    Abraço,
    Sômulo N Mafra

    • José Carlos SBC/SP says:

      Sômulo, quem na equipe consegue ajudar o Cancellara? Se ele depender dos companheiros, os principais concorrentes vão embora. Esse é o problema de ser tão animal como ele, rssss

      • Sômulo N Mafra says:

        ehhehe.. tem razão, José, é difícil acompanhar o cara.

        Eu lembro de uma situação incrível, aquele contrarrelógio histórico por equipes no Tour de France de 2009, quando Cancellara manteve a camisa amarela por 1/2 segundo sobre Lance Armstrong.

        Na ocasião, Cancellara estava muito forte puxando o trem da Saxo Bank a todo vapor. Eu tive a impressão de que ele só não puxou mais forte, porque senão o time inteiro ia sobrar de roda, rsss….

        Mas a ajuda a que eu me refiro não é necessariamente a de ter alguém da equipe andando junto com ele. Falo, por exemplo, no caso de ter alguém lá na frente, marcando a fuga.

        Vejam o caso da Chavannel. Não fosse ele um gregário “ambicioso” fatalmente Boonen poderia ter tido melhor chance em Flandres.

        Será que não poderia haver alguém da Leopard lá na frente fazendo o mesmo papel?

        O’grady?
        Jens Voight?
        Algum outro guerreiro dessa equipe tão forte que é a Leopard?

        Abraços,
        Sômulo N Mafra

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s