Roubaix: jogo de equipe dá vitória para um “outsider”…belga, flamengo!

Venceu a eterna…e já sepultada…esperança belga Johan Vansummeren, da Garmin-Cérvelo.

Ele era um dos participantes da ‘fuga matinal’ e o objetivo era estar lá na frente e ajudar Thor Hushvod, quando este precisasse no final da corrida. Mas Thor não tinha como ser ajudado, pois Cancellara, de novo, mostrou que é o mais forte nas Clássicas e o largou no final.

O gigante (1m97cm de altura) Vansummeren, de 30 anos, foi vencedor da Liège-Bastogne-Liège sub-23 e Medalha de Prata no Mundial sub-23, i.e. era visto por todos como um futuro campeão. Mas não foi longe. No Giro de anos atrás andou bem nas montanhas e a sua então equipe Silent-Lotto chegou a apostar nele como corredor para a Classificação Geral dos Grand Tours. Ele, porém, não foi longe e tornou-se gregário.

O que eu – e quase todo mundo – não reparou é que ele havia sido 8o na Paris-Roubaix de 2008 e 5o em 2009. Foi no fluxo e chegou forte em ambas, mas nunca como protagonista e candidato à vitória. Este ano foi parecido, mas deu tempo de vencer.

PS: e tem uma esposa gata, que estava toda emocionada. A TV belga Sporza a filmou e entrevistou mil vezes. Bacana…

Cancellara – de novo, foi vítima do próprio talento, força e status de ciclista imbatível. O que ele puxou, a força que fez…ele destruiu o pelotão de 45 ciclistas que liderava a prova nos últimos 45 km. Depois, no final, quando parecia ter desistido da corrida, lançou um ataque fulminante, nocauteando Hushvod, Ballan e Flecha, foi buscar os fugidos que perseguiam Vansummeren e conquistou, no sprint, o 2o lugar. De outro planeta!

O pessoal não puxa com ele na roda. E eu pergunto: você faria diferente? Puxaria para ele, para depois tomar uma taquarada na primeira sessão de ‘pavés’ e vê-lo fugir e vencer?

O problema não é que Cancellara é ‘apenas’ mais forte: ele é muito mais forte e é essa superioridade absurda que está fazendo com que as corridas fiquem assim….ele puxando e o resto de roda. Com o perdão da heresia, parecia com os tempos de Merckx e Hinault: ninguém ia para a ponta e os super campeões tinham que se virar para ‘chacoalhar’ os chumpins das suas rodas…Fabian consegiu isso hoje, mas um pouco, só um pouco tarde demais.

Entrevista para a Sporza: “Eu fiz o que podia. Mais seria impossível. Todos estavam me marcando. Tentei algumas vezes. Eu joguei poker no final, a corrida nunca acaba, aí eu disse para mim: nunca desista, tanto trabalho feito nos últimos meses…e se eu ficasse no pelotão outros me atacariam. Ninguém quer ser segundo, mas para mim é uma pequena vitória. E parabéns para Vansummeren. Foi uma grande vitória.”

E ainda foi muito cavalheiro ao ir cumprimentar pessoalmente o Vansummeren. O belga ficou muito emocionado. Bonito.

A Classificação:

1 Johan Van Summeren (Bel) Team Garmin-Cervelo
2 Fabian Cancellara (Swi) Leopard Trek
3 Maarten Tjallingii (Ned) Rabobank Cycling Team
4 Grégory Rast (Swi) Team RadioShack
5 Lars Ytting Bak (Den) HTC Highroad

Thor Hushvod vai declarar que está muito feliz porque a equipe venceu – afinal, não havia ganhado nada de destaque, apesar do esquadrão que montou -, mas no fundo e no raso deve estar sentindo-se mal, pois Cancellara largou-o como quis no final e desapareceu….gosto amargo de derrota isso sim.

Ah…e Vansummeren é belga, é flamengo…mais uma vez a bandeira do Reino da Bélgica vai para o pódium de Roubaix. Os caras já nascem com isso na sangue. Vejam o post de ontem, que explica um pouco esta dominação e fixação que os belgas têm pela Paris-Roubaix.

É isso….mas podia ser melhor, na minha opinião. Abs, F.

About Fernando Blanco

Apaixonado por ciclismo há mais de 30 anos, começou a pedalar em 1977 em Santos, tendo corrido para valer até os 20 anos de idade, quando coisas 'banais' como faculdade, carreira executiva, casamentos e filhos atrapalharam um pouco...agora, como Senior B, está treinando forte e pretende compensar o tempo perdido. Como ciclista foi um bom sprinter, chegando à pré-convocação da Seleção Brasileiros de Juniores em 1979. Se a carreira como ciclista não foi grande coisa, a coleção de revistas locais e internacionais (mais de 1.000) e de videos/DVDs (mais de 100) proveram bastante cultura sobre o ciclismo profissional. Provas internacionais acompanhadas ao vivo: Mundial de Estrada ('07), Mundial de Pista ('89), Tour de France ('97 e '02), Liège-Bastogne-Liège e Flèche Wallone (ambas em '92), Paris-Nice ('97), Ronde van Belgie (´89).
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

7 Responses to Roubaix: jogo de equipe dá vitória para um “outsider”…belga, flamengo!

  1. Juca says:

    A maldição da camisa arco-íris caiu sobre Thor…nem Odin livrou seu filho!
    Van Summeren, um magrelo, oque não é ver comum em Roubaix deu um sapeco no pelote…Cancellara está certo, é um segundo lugar. mas não é um segundo lugar amargo e sim doce! Parabéns pro belga e pro suiço!

  2. Tiago Cardoso says:

    Triste ver um BEIÇUDO preferir fazer 6 a lutar pela vitoria por MEDO do grande SPARTACUS

  3. Eduardo says:

    Me pergunto se o Cancellara quando faltavam 25 segs p/ pegar o pelotão dos escapados tivesse insistido, mesmo levando os rodeiros campeões-zebras mundiais, n seria uma melhor opção. Ele em 2 acelerações nos trechos de pavês buscou 1 minuto, acho brabo q Hushovd e Ballan conseguissem o deixar p/ trás ontem…

  4. José Carlos SBC/SP says:

    Pena o Boonem não estar junto, a história poderia ser outra.
    Imagino ele e o Cancellara querendo vencer…..

  5. henrique says:

    Cancellara dominou e domina. Vejo como um dos maiores problemas tanto na Ronde como na PB a falta de ajuda da leopard. Assisti os últimos 140 km das duas corridas e em momento algum vi leopards escoltando o líder. Lebram no ano passado como foi? Eram sete (pelo menos na Ronde) da saxobank na frente o tempo todo com ainda o campeão dinamarquês fazendo ataques para quebrar Boonen diversas vezes. Em 2011 foi Cancellara contra todos e sem equipe, ainda assim é Spartacus!
    Parabéns pro magrelo tb! Viram como o pneu dele estava murcho no final da prova?

    • jorge says:

      Eu acho que esse ponto que o Henrique tocou é fundamental. Cancellara correu sozinho. Se vc’s repararem na classificação geral da prova ( PB), somente mais um leopard terminou a prova… e bem lá atrás. Os que puderam observar as declarações e comemoração de Jonathan Vaugthers, deixam bem claras a mágoa da saída de cancellara e cia da extinta cervelo test team, e tentam mostrar que o todo é mais importante que o individual….

      • Disse tudo, Jorge. Equipe é tudo. Merckx tinha uma ‘armada’ leal à sua disposição. Cancellara na Leopard sente falta da força da Saxo Bank. E a Garmin-Cervelo só venceu porque tinha equipe, já que as estrelas do time não vêm brilhando. Interessante…e bonito o nosso esporte. Abs!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s